sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Dirceu vai se casar com funcionária do Senado

Nenhum comentário :
O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, que deve deixar a prisão na próxima semana, vai se casar com Simone Tristão Pereira, funcionária do Senado Federal em cargo comissionado com quem já tem uma filha. Tão logo Dirceu deixe a prisão, o casal pretende formalizar a união. A informação é do colunista do GLOBO, Ancelmo Gois.
O condenado no processo do mensalão recebeu autorização do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso para cumprir em casa o restante da pena de 7 anos e 11 de meses de prisão que lhe foi imposta pelo crime de corrupção ativa. O ex-ministro foi preso em 15 de novembro do ano passado. Condenado a cumprir pena em regime inicial semiaberto, obteve autorização para trabalhar no escritório de um amigo advogado, José Gerardo Grossi, onde começou a dar expediente em julho deste ano.
Ele só teria direito a progredir de regime em março de 2015. Mas, como trabalhou dentro e fora do presídio, conseguiu a remissão de 142 dias de pena. Na próxima terça-feira, Dirceu deve participar de audiência na Vara de Execuções Penais do Distrito Federal para que sejam definidos os parâmetros para a sua prisão domiciliar.
NOMEAÇÃO SEM CONCURSO PÚBLICO
A namorada de Dirceu ganhou o noticiário ao ter sido nomeada para uma função no Senado em agosto de 2013. Ela atua em um cargo comissionado, sem ter realizado concurso público, no Instituto Legislativo Brasileiro (ILB). Seu salário bruto, de acordo com o Portal de Transparência do Senado, é de R$ 13,5 mil. A remuneração líquida média supera os R$ 10 mil. O cargo é de assistente parlamentar sênior no serviço de formação da comunidade. No ano passado, na semana da prisão do marido, ela teve o ponto cortado por faltar ao serviço. Ex-recepcionista, Simone já trabalhou na Câmara e no governo de Tocantins.

Truculência do prefeito Mauricio Cavalcanti foi tema na tribuna da Assembleia Legislativa do Estado

Nenhum comentário :
“Ladrão, imoral, assassino. Eu não descansarei enquanto ele não estiver atrás das grades. Lugar de bandido é na cadeia’’. A  declaração é do deputado estadual Fernando Coimbra (PSD), que elevou o tom e silenciou o plenário da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), ontem quarta-feira 29, ao denunciar crimes de ameaça e de corrupção na gestão do prefeito de Pau D’arco, José Maurício de Andrade Cavalcanti Júnior (PMDB).



O deputado, que tem imunidade parlamentar, narrou, em detalhes, o crime de “grave ameaça” que teria sido cometido contra o ex-prefeito de Pau D’arco Luciano Guedes, seu concunhado, na madrugada do último domingo, 26, no município. Com a cópia em mãos do requerimento para instauração de procedimento criminal contra Maurício Cavacanti, ele contou que por volta de 1h da madrugada, o prefeito de Pau D’arco, conduzido por um funcionário de prenome Fernando, em um carro Renault Duster de cor cinza, cortou a frente do veículo de Luciano, na rodovia BR-155, impedindo-o de prosseguir. Cavalcanti desceu do carro, forçou as maçanetas, bateu no vidro e forçou a saída de Luciano do veículo.

Só não houve dois assassinatos porque o carro de Luciano era blindado’’, disse o deputado, referindo-se ao risco de morte do ex-prefeito, ‘’por motivos políticos’’, assegurou  o parlamentar e, ainda, por causa da presença de uma menor de idade, que pegava carona com Luciano Guedes, a pedido de seu pai, Leonildo Gonçalves, conforme narrou o deputado.

O deputado afirmou que Cavalcanti estava embriagado e acompanhado de outros veículos, num total de 20 pessoas, que também desceram dos carros e ameaçaram o ex-prefeito. Luciano Guedes acionou a Polícia Militar pelo 190, por meio de seu aparelho celular. Três PMs chegaram ao local, mas, segundo o deputado, apenas “’se postaram ao lado da porta do motorista, sem tomar qualquer providências”. O ex-prefeito, então, acionou novamente a PM, e desta vez, recebeu cobertura de uma viatura da PM e outra da Policia Civil. O próprio delegado de Pau D’arco teria desobstruído a passagem do veículo e escoltado Luciano Guedes até Redenção, onde foi registrada a ocorrência. (Fonte: O Liberal)

Paraense terá de adicionar 9 na frente dos números de celular

Nenhum comentário :


Usuários de telefonia móvel do Pará precisarão atualizar suas agendas de contatos a partir desde domingo (2), quando os números de celulares do estado ganharão um 9 adicional. Para a funcionária pública Flávia Figueira, a mudança será feita aos poucos. "Eu lembro que houve uma época em que os telefones fixos do Pará começavam com 2, depois inseriram o 3 no começo. A gente se adapta, até porque é um único número, é só inserir o 9. Vou consertar a agenda um a um, na medida em que for ligando", relata.
Além do Pará, a mudança afeta 20 milhões de consumidores nos estados do Amapá, Amazonas, Maranhão, Pará e Roraima. A alteração foi autorizada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para permitir a oferta de novos números de celular, e já vale para São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo.
Mudança
A partir da 0h de Brasília do dia 2 do próximo domingo, os usuários devem discar 9 antes dos outros oito dígitos quando forem fazer chamadas para celulares dos cinco estados. O mesmo vale para o envio de mensagens de texto (SMS).

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Nenhum comentário :

Doutor José Carlos morre vítima de acidente na BR-155

Nenhum comentário :




O médico ortopedista José Carlos, faleceu no final da tarde desta quinta-feira (30), em um acidente de trânsito na Rodovia BR-155, as proximidades da cidade de Pau D’arco. A acidente ocorreu no trecho conhecido por trecho da  ‘’morte’’  que já ceifou inúmeras vidas. As informações que chegaram até a nossa reportagem dizem que o ortopedista foi desviar de um outro veículo e o seu carro capotou e saiu da pista. O corpo do motorista teria sido lançado fora do veículo. O médico era uma pessoa  conceituada na região não somente pelo profissional  que era, mas, pela pessoa extrovertida    e companheiro

Cartório de Redenção celebra primeiro casamento homoafetivo

Nenhum comentário :
O Cartório do Único Ofício da Comarca Redenção realizou no dia 23 de setembro deste ano, o primeiro casamento de pessoas do mesmo sexo. Conforme informações do Cartório Civil, duas mulheres se uniram legalmente perante a justiça.
Trata-se de uma professora e uma defensora pública, cujos nomes não foram divulgados.  Ainda de acordo com informações da instituição, outros casamentos gays deverão ser realizados porque existem muitas pessoas que já convivem juntas na cidade e que devem oficializar a união homoafetiva.
    Em maio de 2013, o Nosso Jornal publicou uma matéria, que depois ganhou as páginas dos principais jornais do Brasil, sobre a polêmica do casamento.
    O juiz de paz do Cartório do Único Ofício de Redenção, José Gregório Bento, 75 anos, à época, pediu demissão do cargo após decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que obriga os cartórios a realizarem casamento entre pessoas do mesmo sexo.
    Gregório alegou que "o casamento homoafetivo fere os princípios celestiais” e por isso pediu demissão. Há mais de 40 anos Gregório é pastor da Igreja Assembleia de Deus, e trabalhava como voluntário no Cartório Civil de Redenção, fazendo conciliações e celebrando casamentos.
    O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou, em maio de 2013, uma resolução que obriga todos os cartórios do país a celebrar casamentos entre pessoas do mesmo sexo.
    O reconhecimento do casamento gay no Brasil como entidade familiar, por analogia à união estável, foi declarado possível pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 5 de maio de 2011. Assim são reconhecidos às uniões estáveis homoafetivas, todos os direitos conferidos às uniões estáveis entre um homem e uma mulher.

Multas de trânsito ficarão mais cara a partir de sábado

Nenhum comentário :
A partir deste sábado, arriscar-se em ultrapassagens perigosas vai custar mais caro para motoristas que forem flagrados pela fiscalização. Nesta data entra em vigor a lei federal que altera o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Entre as onze mudanças no código, estão as que aumentam a multa para esse tipo de infração e ainda as que endurecem o valor imposto a motoristas que praticam rachas. Em 2013, foram registadas 285.889 infrações, em casos que sofrerão punição mais severa; este ano, elas já somam 233.077.
No caso de ultrapassagens em que se força uma manobra perigosa com veículo vindo em sentido contrário, o valor da penalidade aumenta mil por cento, de R$ 191,54 para R$ 1.915,40. A multa para quem ultrapassar pelo acostamento, hoje de R$ 127,69, passará a R$ 957,70, uma alta de 650%. E as ultrapassagens em local proibido sofrerão reajuste de 500%, indo dos atuais R$ 191,54 para R$ 957,70. A percentagem valerá ainda para infrações como ultrapassagem em subidas, curvas e locais sem visibilidade.
Os rachas, se terminarem em acidente com morte, poderão levar o culpado a passar de cinco a dez anos na prisão. Sem vítimas, se a prática for flagrada, pode terminar em pena de três anos de prisão para os motoristas, e em multa mais cara: dos R$ 574,62 atuais, passará para R$ 1.915,40. Caso haja vítimas não fatais, a pena prevista no código modificado é de seis anos de prisão.
De acordo com o Denatran, as infrações, além de passíveis de cobranças mais caras, são consideradas gravíssimas e valem a retirada de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação. A nova lei prevê ainda que ultrapassagens perigosas e rachas custem aos motoristas envolvidos 12 meses sem o direito de dirigir. Já se o culpado for reincidente, o valor da multa dobra.
Em nota, o Denatran afirmou que “o objetivo das mudanças é aumentar a segurança de motoristas e pedestres e das infraestruturas urbanas numa combinação de medidas que inclui a cooperação nacional, a partilha de boas práticas, a realização de estudos de investigação, a organização de campanhas de sensibilização e a adoção de regulamentação”. No texto, o órgão diz ainda que pretende “incentivar os motoristas a conduzirem os veículos de forma segura”.

A Polícia Rodoviária Federal informou que, como os pardais não conseguem detectar detalhes além de excesso de velocidade, a fiscalização será feita “onde houver presença de agente de trânsito ou aparelhos de videomonitoramento”.